Os depoimentos desta seção são de alunos que já cursaram um ou mais módulos do Grupo Mera, ou participaram de um de nossos workshops.
Alguns desses depoimentos não têm identificação porque possuem particularidades dos seus autores. No entanto, não acreditamos que invalide o testemunho dessas pessoas que gentilmente se dispuseram a contar suas experiências com o aprendizado do Um Curso Em Milagres.
Nossa intenção (Grupo Mera e alunos) em apresentar esses depoimentos é incentivar o estudo do Curso.

Escrevi minha trajetória à facilitadora Maria Amélia e disponibilizo aqui como meu depoimento sobre ter conhecido o Um Curso Em Milagres através do Grupo Mera.



Ouvi dizer que havia um menino muito triste, que se achava culpado de tudo sem saber o porquê. Era constantemente humilhado na escola, sofrendo agressões físicas com freqüência. Até as vacas o atacavam. Quando chegava em casa era ameaçado pelo pai, por ser um merda, e coberto de medo pela mãe. Ele tinha ódio daqueles que o agrediam de forma gratuita, mas nunca teve a coragem de se defender.



Ele cresceu e os ataques continuaram, mudando apenas a forma em que os mesmos se apresentavam. Parece-me, segundo informações, que aquele menino procurou suprir seu “defeito de fabricação”, e consequentemente ser aceito, através da busca da perfeição na escola e em nunca dizer não a ninguém. Fiquei sabendo que o menino se formou e conseguiu um bom emprego e se casou com a mulher mais bonita da cidade vizinha, mas, parece-me que ele, ao conseguir tais coisas, só estava tentando mostrar que tinha valor, pouco se importando com o que ele realmente sentia.



Hoje o menino não é mais menino. Está tomando consciência que escolheu cada situação e personagem da sua vida/sonho. A imensa culpa projetada sobre si mesmo sempre exigiu punição severa. Ele nunca se achou merecedor de amor, só de dor. Sempre teve atração por pessoas que o maltratavam. No trabalho, não foi diferente. Eu não queria estar no sonho dele!



Mas, como gosto de finais felizes, ouvi dizer que o menino está acordando do pesadelo. Algo dentro dele está mudando. Está começando a ver de modo diferente. Já não há tanta dor, por saber que realmente nada aconteceu e que o filme só mostrou o seu interior. Percebeu que poderia sentir paz e alegria ao desistir da culpa e sair do papel de vítima, perdoando a si mesmo, como também suas projeções, por tudo o que não aconteceu efetivamente, mas agradecendo a todos por figurarem em seu filme para mostrar-lhe a sujeira que o menino guardava em seu interior.



Parece-me que algumas coisas pioraram quando o menino começou a ter essas estranhas idéias, inclusive teve um forte processo gripal nesta semana, coisa que há muito tempo não acontecia. Talvez seja coincidência. Mas, por outro lado, o menino tem tido momentos de paz e alegria nunca antes conhecidas. O processo de desapego é nítido. Ele não sabe nada e não faz questão de saber nada, só quer experimentar, sentir e ver o que antes não via. Sente que não está sozinho, confia numa força que está nele, mas não é dele, pelo menos não como um 'ser separado'. Ele não tem a mínima idéia do tempo que demanda o processo, sabe que está bem no inicio, que quedas vão ocorrer, mas isso pouco importa a ele, que tem fé crescente que caminha na direção do Deus que brilha no âmago do seu SER.



Obrigado, amor do meu “Despertar”.
 
Data de Postagem: 27 Fevereiro 2010
Postado Por: C. A. D. - Engenheiro
Como perdi meus entes queridos ainda quando muito pequena, entendi que perdi juntamente minha casa e meu espaço no mundo. Cresci com a mentalidade de que o mundo pertencia a todos, menos a mim. Então, surgiram as misérias nos relacionamentos e a carência sempre rondou meu coração. Com muitos medos, deixei-me levar pela crença em todas as faltas (escassez).



Questionando-me sobre o quê significou o Curso Mera com os ensinamentos do Um Curso Em Milagres, resumi esse significado em três palavras: amplitude,extensão e gratidão. Amplitude, porque minha visão foi sendo levada à consciência de igualdade perante aos demais. Senti-me incluída nas mesmas leis às quais todos estamos sujeitos, saindo, assim, da condição de vítima com uma rotina cheia de medos. Foi um trabalho árduo, ainda o é, mas é possível e o resultado de liberdade não tem preço. Defino extensão como sendo acreditar na nossa capacidade de co-criação do nosso destino, do hoje e do amanhã. Nosso porque é igual e universal: é para mim, para você e para todos.



Hoje, meu regresso à paz é muito rápido. Diante de situações difíceis, deixei de reviver o passado com lamúrias e tristezas. Sou mais livre, mais leve, consciente de que as experiências de aprendizado fazem parte da vida e não há motivos para autocondenação e culpas. Não fico mais no chão, sei que tenho meu espaço no mundo, no coração dos amigos e sei, cada vez mais, que sou amada por Deus.



Aqui estendo minha gratidão ao curso, à facilitadora, a mim e a todos os que estão nesse caminho. Sou grata ao olhar para trás e ver o quanto caminhei, tendo hoje transformado muitos dos meus medos em amor, e grata também às práticas dos exercícios que têm me ajudado transformando e redirecionando a minha vida.
 
Data de Postagem: 27 Fevereiro 2010
Postado Por: Maria de Lourdes Formici - Cabeleireira
O que mudou na minha vida mais significativamente, depois que fiz os cursos do Grupo Mera foi a forma como tenho lidado com os problemas futuros. Um exemplo interessante: a partir do dia 20/12/08 vou substituir a chefia e isso, normalmente, me causaria sofrimento. Agora consigo deletar todos os pensamentos sobre meus prováveis problemas futuros. Obviamente, tenho revisto as apostilas quase diariamente. Já refiz os exercícios do primeiro módulo quatro vezes.



Ainda, sobre uma experiência com um colega específico de trabalho, aquele momento da minha vida foi excepcional. Naquela época esse colega estava me incomodando. Meditei, apliquei o meu exercício daquele dia para essa situação e, no dia em que trabalhei com ele, foi muito mais fácil do que pude imaginar! Aprendi que mantendo minha mente focada no que eu escolho, principalmente no dia anterior aos eventos que me dão insegurança, fica muito mais fácil lidar com as pessoas que eu elejo como chatas. Atualmente, nos dias em que vou trabalhar com essas pessoas, aplico meu exercício do dia, até mesmo dentro do carro, para as pessoas e as situações que irei conviver e viver e peço a Deus que me dê sabedoria pra escolher sempre as melhores palavras e as melhores ações.
 
Data de Postagem: 27 Fevereiro 2010
Postado Por: F. F. M. - Agrônomo

<< Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo Fim >>

Página 10 de 10