Todo o mundo das formas, ou da separação, que fizemos junto com o ego, o Espírito Santo pode usar para reverter o seu significado e o seu propósito.

É bastante difícil para uma mente não treinada entender que a memória é a seleção da sua própria percepção. Parece que o que lembramos está lá involuntariamente, porém, o Curso nos diz que é, na verdade, uma seleção feita pela percepção. A percepção, consequência da projeção, tem sua origem na crença na separação. A mente pode manter essa crença através da memória pela escolha, que na maioria das vezes é inconsciente.

Tomar consciência de que estamos todo o tempo escolhendo o que manter em nossa memória é estar ciente de que estamos escolhendo entre o ego e o Espírito Santo a todo instante. O ego mantém as lembranças de ataque, defesa e separação; o Espírito Santo disponibiliza as lembranças de igualdade, confiança e segurança.