O ego está tentando ensinar-te como ganhar todo o mundo e perder a tua própria alma.  O Espírito Santo te ensina que não podes perder a tua alma e que não há ganho no mundo, pois em si mesmo não há nada que seja proveitoso no mundo. Investir sem lucrar seguramente é empobrecer a ti mesmo, e as despesas são altas. Não só não há lucro no investimento, como o custo para ti é enorme. Pois esse investimento te custa a realidade do mundo, pois nega a tua e nada te dá em troca. Não podes vender a tua alma, mas podes vender a consciência que tens dela. Não podes perceber a tua alma, mas não a conhecerás enquanto perceberes alguma outra coisa como mais valiosa. (UCEM –T-12.VI.1)


O investimento no mundo é um investimento no nada, já que ele é uma ilusão. Investir é se empenhar, sofrer ou se sacrificar por qualquer coisa no mundo.

Embora isso seja o pensamento puro do Curso expressado aqui, não precisamos nos assustar porque Jesus sabe que nosso investimento aqui ainda é muito grande porque nossa identificação com um ser individual e separado é muito grande. Ele sabe que as coisas do mundo, que são importantes para os corpos, ainda terão importância relevante para todos.

Contudo, de diferentes maneiras Jesus nos mostra que esse investimento não só não vale a pena, pois não nos trará a paz, mas também nos deixa cada vez mais perdidos em relação à nossa verdadeira identidade: quanto mais lutamos pelas satisfações com as coisas do mundo, mais nos identificamos com um ser em escassez, longe da plenitude do Filho de Deus. E, quanto mais essa identificação se aprofunda, mais o sentimento de falta se faz presente, e assim fechamos o círculo vicioso.

Jesus não nos pede para negar o corpo, portanto, não nos pede para abrir mão de nada do mundo das formas, enquanto sentimos que necessitamos. O que ele nos alerta em várias passagens é que se contarmos com a ajuda dele ou do Espírito Santo, nosso investimento será amoroso e sem sacrifício.

Encontrar a Paz de Deus em todas as situações irá nos lembrar de que não podemos escolher nosso destino, na realidade: tudo aqui é uma lição de perdão. Mas, nós podemos escolher com quem (ego ou Espírito Santo) vamos perceber, olhar e analisar as situações.

Nós podemos perder a consciência de quem realmente somos, mas não podemos modificar o que Deus criou. Essa é a parte feliz. No entanto, enquanto nossa percepção ficar distorcida em relação às coisas “importantes” que pensamos necessitar, elas substituirão nossa consciência da nossa Identidade.

Lembrar-nos de que é possível escolher a Paz de Deus, mesmo que seja por alguns minutos e sistematicamente, construirá um hábito de aceitar a visão do Espírito Santo sobre todas as coisas. Isso, então, nos fará entender que não precisamos abrir mão do mundo, mas apenas da ideia de sacrifício.

Grupo Mera